Games
479 Views
0

Crítica | TMNT: Shredder’s Revenge

Visitar um fliperama nos anos 90 e não dar de cara com um gabinete com o jogo das Tartarugas Ninja era quase um crime. O clássico passou por inúmeras versões ao longo dos anos e cresceu ao lado dos videogames. Hoje é dia de lembrar dos bons tempos com um jogo inédito das Tartarugas Ninja, TMNT: Shredder’s Revenge.

Nostalgia que faz bem

Sem contar as participações especiais em jogos variados, ou versões para iOS e Android, as Tartarugas Ninja não aparecem num jogo para consoles desde 2016, quando a Platinum (e a Activision) entregaram o seu próprio take dos quelônios comedores de pizza.

O que a Dotemu e a Tribute Games fizeram, no entanto, vai além de um simples novo jogo. A expertise de trabalhar com franquias do passado e restaurá-las para as novas gerações de console transformaram Shredder’s Revenge numa experiência nostálgica, mas ao mesmo tempo revigorada.

Os elementos básicos estão todos de volta. A pancadaria contra o Clã do Pé, os chefes mutantes já conhecidos do universo dos heróis, seja dos quadrinhos, desenho clássico ou jogos do passado, assim como a ação comandada pelas quatro tartarugas que receberam nomes de artistas renascentistas famosos.

A sensação de apertar botões no game é bastante similar também, isso graças ao esmero da Dotemu, que tenta, ao máximo, homenagear a obra original à sua maneira. Seja na ordem inicial dos primeiros chefes do jogo, nos títulos dos episódios da campanha, tem muita coisa no jogo que vai mandá-lo de volta ao passado de uma forma divertida.

Mas toda essa cara nostálgica ganha um fôlego extra com as novas mecânicas de combate, que adicionam sem alienar o jogador. Uma barra de especial para ataques em área devastadores, golpes carregados (segurando o botão de ataque), voadoras diferenciadas, tudo em prol do dinamismo na hora do combate, porque beat’em ups podem ser repetitivos caso o jogador não tenha espaço (e ferramentas) para se expressar no gameplay.

Um botão de esquiva (que precisa ser lembrado sempre que possível) ajuda a gente a escapar de adversidades como cercos de inimigos ou projéteis. Cada esquiva pode ser seguida de um ataque imediato que pega os adversários de surpresa e coloca o jogador de volta à ação imediatamente (para você não perder seu contador de combos).

Até seis jogadores simultâneos

TMNT: Shredder’s Revenge conta com uma mudança significativa em relação aos seus antecessores: é possível jogar o game com até mais cinco amigos ao mesmo tempo, seja online ou presencialmente, no já clássico multiplayer de sofá.

No entanto, algumas ressalvas: os jogadores de PlayStation só conseguem conectar quatro jogadores offline ao mesmo tempo, enquanto os outros dois (para somar seis) precisam ser online. Nos demais consoles, seis jogadores offline não serão problema.

Mas aí vai ter jogador com tartaruga repetida”? Não necessariamente. Caso não tenham visto, Shredder’s Revenge possui (até o momento) sete personagens jogáveis: as quatro tartarugas, April, Mestre Splinter e Casey Jones (este último precisa ser destravado no game). Cada um com seus próprios atributos, golpes especiais e animações únicas.

Jogue mais uma vez

A experiência de Shredder’s Revenge passou por algumas modificações para ser atualizada às novas gerações. Uma das principais mudanças acontece durante o progresso do jogo, já que cada personagem consegue subir de nível e adquirir upgrades para suas habilidades.

É possível destravar novos golpes especiais aos personagens. Os ataques com o botão de golpe especial, ao longo da aventura, podem ser acionados durante o pulo ou esquivas, por exemplo.

As duas formas de apreciação da campanha do game também funcionam como um tipo de frescor ao jogo. O mapa entre as fases do modo história vai assinalando as tarefas de cada área e coloca em destaque os personagens secretos que podem ser resgatados em algumas missões. Cada um deles lhe oferece um desafio cujo prêmio final são pontos de experiência para seus bonecos.

É possível refazer cada uma das missões após a sua finalização uma primeira vez. Alguns desafios – passar a fase sem tomar dano, ou sem cair em armadilhas – não são fáceis e podem exigir uma segunda run na fase. Ah, vidas limitdas, mas continues infinitos e salvamento de progresso.

Já o modo arcade é mais tradicional. Vidas contadas e sem continues. Jogue até onde conseguir e, caso o game over apareça, será necessário recomeçar a aventura.

Retorno dos vilões clássicos

Quem jogou qualquer jogo das Tartarugas Ninja sabe mais ou menos o que esperar no quesito chefes de fase. Apesar da ordem trocada de alguns – e algumas surpresas muito bem vindas – Bebop e Rocksteady estão lá para lhe causar dores de cabeça.

Um lance bem legal do jogo é que algumas rotinas dos chefes permaneceram parecidas com as suas versões originais. Não são 100% iguais, mas trazem lembranças (boas e ruins). Uma barra de vida vermelha mostra o quanto falta do chefe para ele ser derrotado, o que é muito útil para podermos nos planejar durante a peleja.

O retorno dos personagens clássicos do jogo do arcade, somados a alguns vilões de outros jogos deixam tudo extremamente cheio de vida. Fui mandado automaticamente de volta ao clássico Tournament Fighters, aquele jogo de luta das Tartarugas Ninja.

TMNT: Shredder’s Revenge nasceu clássico. Um jogo inédito que mira tanto nos jogadores antigos quanto na galera nova que só conheceu os heróis pela Nickelodeon. O charme do visual retrô, mas com animações de ponta, as referências ao jogo clássico e a localização em português (graças ao pessoal da Masamune) dão o toque final à obra. Essencial para quem gosta de jogar videogame.

■ Jogo: TMNT: Shredder’s Revenge   ■ Publicação: Dotemu    ■ Desenvolvedora: Tribute Games  ■ Plataformas: PS4, PS5, Xbox Series S/X, Nintendo Switch, PC    ■ Lançamento: 16/06/2022

Comunidade Geek Here

Divirta-se, mas tenha bom senso e respeite os outros.

Deixe uma resposta