Games
314 Views
0

Crítica | Kirby and the Forgotten Land engole tudo com humor

Dedicado a ser simpático e divertido, Kirby entrega muito mais do que prometia em uma primeira aventura tridimensional de verdade.

Os jogos de Kirby costumam carregar ideias e conceitos novos com criatividade. Ele é considerado, pelos fãs, uma ótima franquia de games no estilo plataforma — e esse é o primeiro com uma proposta tão diferente. E, desde sempre, a Nintendo sabe aproveitar os elementos das narrativas em todos os seus aspectos. Já digo aqui que quem não se diverte com Forgotten Land, tem um coração bem gelado.

A nova aventura 3D da bolota rosa é o que carinhosamente estou chamando de “Kirby Odyssey”. Super Mario Odyssey foi um grande marco para a série do nosso encanador favorito, já que foi inovativo ao expandir as transformações do Mario (oi, T. Rex!) com fases extremamente variadas, que faz você querer explorar cada canto do cenário com curiosidade. Apesar disso, Kirby and the Forgotten Land é bem linear como o excelente Super Mario 3D World.

Mesmo com todas as mecânicas novas trazidas pela desenvolvedora HAL Laboratory, para o mundinho de Kirby, a nostalgia bateu na porta.

Kirby em uma aventura pós-apocalíptica… quem diria, né? E funciona!

Kirby não conheceu o outro mundo por querer

Nesta história, Kirby vivia tranquilamente até que, um dia, um vortex aparece e joga ele em um mundo completamente novo. Sim, Kirby and the Forgotten Land é um ISEKAI. Isso aqui é parecido demais com Pokemon Legends: Arceus, né? Talvez essa seja a vibe do momento mesmo, vai saber? Só que ao invés de ir para uma era feudal nos primórdios de tudo, agora estamos em um pós de tudo, em cenários pós-apocalípticos. 

E então ele descobre que os Waddle Dees foram sequestrados por uma força maligna. Agora resta ao nosso herói resolver puzzles e enfrentar vilões para colecionar resgatar a maior quantidade deles possível.

O jogo que diverte sem precisar tentar muito

Como bem falei, os cenários são extremamente carismáticos e coloridos o suficiente para você não ficar com a sensação de melancolia em um mundo que se diz pós algum tipo de apocalipse. Até porque não poderia ser diferente em um jogo do Kirby. Ele precisa ser divertido. E é MUITO divertido mesmo.

Você vai circular por lugares como um shopping e parque de diversão abandonados e ambientes industriais em meio a tempestade de neve. Isso tudo é um grande arsenal para fases hiper criativas. 

Apesar do modo “difícil”, que você escolhe assim que começa a aventura, não existe uma real dificuldade nem mesmo para jogadores casuais. Talvez você morra uma vez ou outra (ou por uma bobagem do tipo, quando o vizinho tenta se conectar à sua televisão e você perde acesso ao jogo por alguns segundos), mas nada que deixe a sua experiência frustrante. Mesmo os puzzles não se tornam mais complicados para resolver no wild mode. Você só ganha mais moedas como recompensa. Eu sinceramente apreciaria um modo de jogo ainda mais complicado, porque sim eu gosto um pouco de sofrimento.

Os cenários são super coloridos e extremamente divertidos

Humor talvez seja a palavra-chave aqui, já que além da promessa de diversão garantida, você vai rir de situações para lá de inusitadas. O meme do Kirby “encapando” um carro, o Carby, é só o começo, até porque você também vira uma máquina de refrigerante como uma metralhadora de latinhas (não é genial?). Isso se chama mouthful mode, que é quando Kirby pode engolir certos elementos do cenário e utilizar de forma variada. Este modo é bem pontual, mas sempre gratificante. Eu pelo menos adorei.

Os poderes que ele copia, e que você já conhecia, aqui tem toda uma camada à parte. Você pode evoluir conforme encontra blueprints escondidos nas fases. Dá para aprimorar algumas vezes e, no fim, para isso acontecer, vai te custar moedas e estrelas. Não tem almoço grátis.

Evoluir os poderes vira um dos objetivos principais

O bom é que tem MUITA coisa para fazer 

Além dos Waddles Dees para se preocupar em resgatar, você deve juntar a maior quantidade de moedas, encontrar blueprints e, claro, não poderia faltar o colecionável em forma de gacha. Em Forgotten Land, você encontra miniaturas que são personagens e elementos do jogo como um brinquedo de gacha. Podem estar escondidos ou você pode gastar seu precioso dinheiro em uma máquina de gacha. Tá, mas e o que você faz com eles além de colecionar? Pode expor e decorar a sua casa em Waddle Town.

Colécionáveis em forma de gacha e uma cidade inteira para aproveitar

Sim, tem sim uma Waddle Town inteira para desbloquear. À medida que você coleta os waddles, você libera alguns estabelecimentos com minigames e power-ups. É na cidade que você consegue evoluir os poderes de Kirby, mais especificamente na Waddle Dee’s Weapon Shop. Além disso, tem joguinhos para passar o tempo e ganhar mais gachas (é colecionável que você quer, @?). Você também consegue comprar itens de cura para levar nas fases e outros para um boost por determinado tempo. 

É claro que para tudo isso acontecer, é preciso sofrer um pouquinho. As fases “bônus”, ou Treasure Roads como é chamado no jogo, que aparecem enquanto você avança na história, são basicamente desafios com tempo que te presenteiam com rare stones em que você usa justamente para “upar” os poderes com as blueprints.

E para quem realmente ama ser complecionista, fica tranquilo que todas as fases possuem missões secundárias secretas. Basicamente tem bastante coisa para fazer e se divertir, enquanto passeia por cenários lindos com a bolotinha rosa.

Treasure Roads trazem um pouquinho mais de desafio

Veredito: confort game de ação e sucesso

Com uma trilha sonora super confiante e a possibilidade de um co-op mais interessante do que o de Super Mario Odyssey, Kirby and the Forgotten Land é mais um daqueles jogos confortáveis para jogar, relaxar e rir. Apesar da proposta aventuresca de ação desenfreada e inusitada, ele deixa no ar o conforto e boas “vibes”. Com certeza abriu portas para que os próximos da franquia sejam semelhantes ou até mais ousados.

■ Jogo: Kirby and the Forgotten Land    ■ Publicação: Nintendo    ■ Desenvolvedora: HAL Laboratory
Plataformas: Nintendo Switch    ■ Lançamento: 25/03/2022

Comunidade Geek Here

Divirta-se, mas tenha bom senso e respeite os outros.

Deixe uma resposta